8 de julho de 2017

Textual description of firstImageUrl

Um brasileiro no Movimus Wrestling!

 

Na última quinta-feira (06 de julho) o blog superou a marca de 500 mil visualizações de páginas desde a sua reabertura, em 08 de agosto de 2014. Uma marca expressiva, sobretudo para um mero blog de "lutinha". Afinal, ter mais de meio milhão de acessos em menos de 3 anos não é pra qualquer um.

Para comemorar, nada melhor que um vídeo de luta bem do jeito que a gente gosta. E o que pode ser mais especial do que um daqueles presentes que o melhor site de grappling do mundo, Movimus Wrestling, dá a seus fãs todos os meses? Simples, uma luta com um brasileiro na parada.

Para quem não sabe, Marco Talus é um dos nossos, e cumpre bem o papel de representar o país que tem tantos lutadores famosos no mundo.

Já tendo sido considerado pelo próprio Movimus como o lutador mais forte da casa, Marco vem do Jiu-Jitsu e, num dia sem nada pra fazer em casa, acabou fazendo uma visita à página do Movimus. Foi quando tudo começou.

O brasileiro curtiu tanto, mas tanto aquilo tudo, que resolveu entrar em contato com o dono... e logo depois, lá estava ele estrelando vários vídeos e se pegando com grandes nomes do site, como Brock Hammer, Connor Flynn e Max Anderson, pra citar alguns. E isso pra não falar no monte de lutinha privada (que rola direto entre os lutadores de lá) e que nosso ilustre brasileiro não perdia uma.

Vindo de um cartel de lutas bastante positivo, Marco chamou a atenção de um cara lá do outro lado do mundo. Um austríaco chamado Bryan Kane que voou para os States a convite do Movimus só para tirar uma luta com o brazuca.

Assim, casado o combate, era a hora de um match internacional Brasil x Aústria em plena cidade de New York, no lendário tatame de lutas do Movimus Wrestling.

Com uma inconfundível sunga branca cavada, Marco, no alto dos seus 1.88m de altura e pesando 80 kilos, coloca seu Jiu-Jítsu genuinamente brasileiro contra o Wrestling do austríaco Bryan e seus 1.78m de altura e 86 kilos.

Marco tem a tenacidade típica de um jovem atleta de 25 anos, com uma carcaça que fica ali num meio termo entre Asa Cruz e Dave Markus. Só um pouco saradinho, mas o bastante para causar um pouco de inveja.

Bryan, por sua vez, "se vira nos trinta". É um dos poucos caras que já lutaram no Movimus com mais de 30 anos... e eu adoro isso. Se você já está nessa faixa de idade, talvez se identifique com o corpinho de "pai" do rapaz, com um pouco de barriga, mas não muito, e uma musculatura mais ou menos flácida... mas o suficiente pra te derrotar num teste de força e resistência se você o encarar. Tudo isso com um par de coxas salientes, com carne o bastante pra te aplicar um forte bodyscissors, mas ao mesmo tempo amortecer o impacto e massagear o seu corpo sutilmente, sem toda aquela musculatura enxuta dos ratos de academia que adoram um treino de perna.

Pra encurtar a história (ou não...), a luta começa acirrada e... de um jeito bem, bem familiar. A despeito das noticiadas técnicas dos lutadores, o estilo deles parece um pouco amador... mas no bom sentido.

O brasileiro começa o fight em cima do adversário, mas sem muita variação e aparentando pouca criatividade, sem saber direito o que fazer naquela posição. Parece literalmente com metade dos caras com quem eu lutei, e lembra muito a mim quando não sabia lutar coisa alguma.

Seu oponente parece um pouco perdido também. Depois de alguns minutos deixando escapar uma excelente oportunidade de pegar o oponente na guarda, finalmente ele "descobre" essa posição. Não que isso tenha ajudado muito, pois fica nítido que ele não tem vocação para guardeiro, e só o que consegue fazer é inutilmente tentar aplicar toscamente um bodyscissors. Novamente, um tipo de iniciativa extremamente comum entre caras com pouco conhecimento em lutas, e que a gente vê muito em homens que gostam de brincar de lutinha, mas que nunca treinarem artes marciais.

Depois de alguns minutos no "chove não molha", é hora do austríaco virar o jogo, e ficar por cima do brasileiro. Com um pouco mais de agressividade, ele se firma melhor nessa posição, aproveitando-se do seu peso mais avantajado, e tenta alguns ataques, ainda que um pouco tímidos.

Nessa alternância de posições, que mais lembra uma luta estilo "papai-mamãe", sem qualquer ataque de costas ou pela lateral, apenas peitoral contra peitoral e cinturas firmes sobre a outra, os caras já começam  a ficar ofegantes, demonstrando estarem dando o máximo possível, apesar do pouco refino das suas técnicas.

Com alguns urros e gemidos, o austríaco parece tentar uma vitória no grito. Os caras literalmente deslizam pelo tatame todo, enquanto se mantém naquela posição fixa, como se atraídos magneticamente ou grudados pelo efeito do suor que já escorrem pelos seus corpos.

Vez ou outra o europeu tenta alguma coisa diferente, como por exemplo insistir numa espécie de grapevine mal executado ou tentar buscar o pescoço do oponente para fazer sabe se lá o que com ele (isso nem ele sabe).

Porém, a criatividade do trintão vem à tona com seus curiosos golpes de barriga. Aproveitando-se talvez de sua ligeiramente proeminente barriguinha de chopp, o cara investe em "barrigadas" tão interessantes que devemos todos tomar notas para usarmos depois numa luta com algum amigo.

O barulho abafado pela pele já molhada dos lutadores que esse choque resulta, acaba ecoando pela sala e só faz aumentar o pico de testosterona que parece chegar ao ápice naquele momento do combate.

Enfim, depois de muito tempo, os lutadores dão uma parada para um refresco... e o combate se reinicia! ... e a partir dali a luta muda de figura, como veremos.

Ainda que mantendo a impressão de pouca familiaridade com os golpes mais complexos do jiu-jítsu e do wrestling, finalmente começamos a ver variações interessantes aqui e acolá.  Guilhotinas, gravatas e, principalmente, headscissors, aliás, bastante.

Com uma fixação quase obsessiva em querer agarrar e espremer a cabeça do europeu entre seu potente par de coxas, Marco Talus renasce. Depois de esconder o jogo no primeiro round (que não teve vencedor), numa clara estratégia de enfraquecer primeiro seu oponente para depois fazer dele um suflê, o brasileiro mostra, enfim, quão perigoso pode ser.

Marco parece ser um daqueles caras que você enfrenta que realmente não aparentam lutar muito bem, mas que por um motivo ou outro acaba prevalecendo sobre você na luta. Depois de cerca de 20 minutos de muita luta agarrada, o brasileiro consegue seu xeque-mate, mostrando que sua insistência pelo headscissors seria paga mais cedo ou mais tarde.

Só que o combate continua, e por mais uns 7 minutos... e dessa vez o austríaco parece muito mais esperto, e não será tolo de cair no mesmo golpe duas vezes seguidas.

O round final é um dos mais curtos, porém mais disputados da luta inteira, e exige do brasileiro um pouco mais técnica do que ele vinha demonstrando até aqui. Com inúmeras lutas do Movimus terminando com empate, será que no round final o austríaco vai conseguir se igualar ao faixa branca de jiu-jítsu, ou será que nosso caro brasileiro de sunga branca irá terminar com um placar confortável, digno de estampar a todos esses estrangeiros que somos os melhores?

Isso você terá que descobrir assistindo a luta na íntegra! Basta clicar no link a seguir e se divertir.



Atenção. Não esqueça de desligar o seu complemento ou extensão de navegador que bloqueia publicidade ao visitar o site do Movimus (ou adicioná-lo à lista branca). Afinal, eles estão liberando uma luta de 20 dólares gratuitamente para todos. O mínimo que podemos fazer é acessar o site deles para conferir a luta e  visualizar (e clicar) em todos os anúncios que lá aparecem! Essa é uma forma de incentivá-los a continuar compartilhando esses fights.

No final deste post, coloquei um preview dessa mesma luta. Lembre-se que a partir de agosto o acesso gratuito será interrompido, por isso eu coloco essa prévia no finalzinho para ilustrar o tópico.

Pessoal, O Marco provavelmente já era residente nos EUA na época, porém se você ainda mora no Brasil, ou em qualquer outro lugar do mundo, e quiser ir aos EUA para fazer uma luta para o Movimus, entre em contato com eles. Eles podem até te ajudar com as despesas. Com instalações em New York e Las Vegas, quem sabe esse não pode ser um excelente programa de férias! Já pensou?

A seguir eu também postei algumas imagens do combate. Confira aí e não deixe de dar a sua avaliação no site para esta postagem e mandar o seu comentário, que é sempre muito importante para o blog!

Depois do sufoco inicial, o brasileiro começa a dominar o combate e agora é só sorrisos

O austríaco inverte a posição, monta no brasileiro e tenta impor seu jogo com direito até a golpes de barriga
Com uma carcaça maior, o brasileiro é muito mais esguio e começa a abrir sua caixa de ferramentas 
O brasileiro, sarado, contra o adversário mais velho e corpinho de papai. Porém a luta foi difícil e o equilíbrio foi a tônica
Nos primeiros 20 minutos, lutadores não se desgrudam por nada e ficam um sobre o outro e o outro sobre o um numa luta envolvente
Acima, uma pequena prévia. A luta é gratuita, mas só dá pra assisti-la na íntegra acessando a página do Movimus Wrestling, e somente até o final do mês de julho.


Seja o primeiro a comentar

Contamos com a sua participação no blog. Deixe o seu comentário! Basta clicar ou tocar no botão Publicar. *não é obrigatório se registrar nem informar o seu nome.

TRANSLATE
Copyright © 2009 - 2017 Luta vs Luta Grappling For Fun (All Rights Reserved). Tecnologia do Blogger.